Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Impressões

Hoje tive uma insónia brutal. Nem me atrevi a olhar para o relógio para não me assustar com as horas. Por isso, nem sei a que horas adormeci mas tenho a sensação que foi muito pouco tempo que fechei os olhos. Só sei que quando chegou a hora de saltar da cama, estava com uma pedrada de sono que mal conseguia abrir as pálpebras.
A única coisa que tinha em mente era: Café! Café! Café! (entenda-se: Descafeinado! Descafeinado! Descafeinado!)
Após colocar uns palitos para conseguir manter os olhos abertos, arrastei-me até à paragem do bus quase às apalpadelas e transformei-me em mulher-estátua, de tanto sono que tinha, enquanto esperava pelo bus.  
Caraças! Já não dava tempo para o tão ansiado (des)café. Penso time!
 
Hoje estou um bocadinho enervada, ou tensa, sei lá… Estou sensível. Talvez seja por causa da insónia.
As aulas não correram mal apesar de ser 6ª feira e os miúdos estarem excitadíssimos.
Não demorei eternidades a chegar a casa, nem houve “enganos de percurso”. Até vinha com a pica toda mas depois murchei. Seria falta de (des)café ou de algum lanche hiper-mega-calórico, hiper-mega-bom? Não posso responder. Não fiz uma coisa, nem outra…
 
Vi uma coisa que me perturbou bastante. Um excerto de um documentário de luta de cães. Eu sei que não posso ver estas coisas. Tenho um estômago demasiado sensível. Mas fiquei a ver. E eu explico porquê. Fico abismada com a bestialidade dos homens. Mutações genéticas especialmente criadas para criar animais cujo destino é a luta e, consequentemente a morte. E depois o relato do caso de um dono que ligou um cabo ao rabo do cão e outro à orelha, mandou-lhe água para cima e em seguida mandou 1 cabo de electricidade para a água qu estava no chão. Estão a ver, não é? Como o assunto não terminou ali, levou o bicho para casa para acabar o serviço.
É a repugnância total.
Como sabem tenho 2 cães e estas coisas mexem muito comigo. E a mãe do Bóbi era arraçada de pitt bull… Ele é forte mas muito meigo e amigo.
Tive que falar nisto para tentar exorcizar os fantasmas que aqui ficaram. Mas não quero falar mais, quero esquecer.
 
Para ajudar à festa, houve confusão no café aqui do prédio. Desconfio que até as mesas devem ter voado. Motivo da discórdia: roubo e droga à mistura.
O Sr. Presidente da Câmara teve a brilhante ideia de mandar construir prédios de realojamento aqui no bairro. Então de um lado existe a parte antiga, que é a minha, e que sempre foi sossegada e do outro lado os prédios caros, perto do Metro.
As ruas estão sempre sujas, cheias de lixo. É só pessoal com mau aspecto e ar suspeito a passar. Começaram os assaltos a carros. É uma tristeza.
E o mais giro é que é um bairro com passadores de droga plantado à porta de uma escola secundária.
Diziam que faziam aqui uma esquadra de polícia. Só não disseram em que século. E ver aqui vigilância policial é mesmo uma miragem. Só quando os ciganos desatam aos tiros é que a ramona aparece.
 
O meu post hoje não é muito agradável nem divertido, mas foi o que se pôde arranjar.
São as inquietações que me vão na alma…